O que Fazer da Vida com 18 anos

28 Flares Twitter 0 Facebook 28 Google+ 0 LinkedIn 0 Email -- Buffer 0 28 Flares ×

Se você se sente perdido, frustrado, sem o apoio da família e com medo de tomar decisões sobre sua vida e carreira, leia este artigo até o final para saber o que fazer da vida com 18 anos.

O que fazer da vida com 18 anos

Fazer 18 é sem dúvida um dos momentos mais importantes das nossas vidas. Porém é também o início de um período de pânico total para muitos.

Família pressionando, sociedade pressionando. E muitas perguntas sem respostas:

  • Que carreira seguir?
  • Que faculdade fazer?
  • Qual profissão dá mais dinheiro?
  • E se não der certo?
  • O que eu faço?
  • Por onde eu começo?
  • O que eu posso fazer com 18 anos?

E se todas estas dúvidas e a pressão já não fossem o suficiente, ainda são bombardeados com os seguintes “conselhos” genéricos:

  • “Você precisa fazer uma faculdade e arrumar um emprego para ser alguém na vida”.
  • “A vida não é fácil para ninguém, você precisa estudar e trabalhar”.
  • “Eu não quero que aconteça com você o que aconteceu comigo, por isso que você precisa fazer uma faculdade e arrumar um trabalho decente”.

Ouvi isso diversas vezes em minha adolescência. Eu quase acreditei nestas afirmações, porém, consegui me libertar e você também pode. A pergunta porém é: Será que você está preparado?

Aviso Importante: É bem provável que alguns pais não concordem com o que vou compartilhar, no entanto, minha esperança é tornar este assunto tão claro quanto possível para que todos se conscientizem de que a culpa não é deles. E que a mudança de mentalidade é possível.

Entendendo o Cenário

Antes de bater o pé e gritar com seus pais, se revoltar e ameaçar sair de casa, respire fundo, sente e entenda o seguinte cenário:

1) Há 18 anos atrás, seus pais viviam em uma época em que a internet estava começando no Brasil. O acesso a informação na escala que temos hoje não existia, portanto, muitos deles precisavam seguir quase que obrigatoriamente os passos dos seus avós.

2) Os seus avós foram criados em uma era industrial, onde o emprego assalariado era muito valorizado. Naquele tempo, bastava ter um bom emprego para conseguir viver bem.

Sendo assim, era isso que eles recomendavam para os seus filhos (no caso, os seus pais, beleza?): “Arrume um bom emprego”.

3)  Seus pais fizeram (ou ao menos tentaram) e recomendam que você faça o mesmo: “Arrume um bom emprego”, no entanto, o mundo mudou absurdamente neste intervalo de tempo.

Antigamente pagava-se caro só para ter uma linha telefônica fixa em casa. Hoje, você faz ligações gratuitas via Whatsapp e conferências com pessoas de vários lugares do mundo via Skype.

4) O mundo mudou, porém, a mentalidade não. E o motivo é simples: existe há décadas um sistema bem construído que diz como o ciclo de vida de um ser humano deve ser.

É algo bem parecido com isso:

  1. Acorde cedo;
  2. Vá para a escola, estude tudo o que eles te ensinarem;
  3. Coma direito e faça exercícios;
  4. Passe no vestibular e vá para a faculdade, estude tudo o que eles te ensinarem;
  5. Procure um emprego na iniciativa privada ou passe em um concurso público;
  6. Trabalhe muito;
  7. Compre um carro;
  8. Arrume um(a) esposo(a);
  9. Case e compre uma casa;
  10. Viaje somente nas férias;
  11. Tenha filhos;
  12. Coloque seus filhos na escola (voltando ao passo 1);
  13. Compre um carro maior;
  14. Compre uma casa maior;
  15. Envelheça e compre remédios;
  16. Morra.

No meu artigo Entenda Como Nossas Mentes são Manipuladas há Décadas comento sobre o documentário: O Século do Eu, em que são apresentadas as técnicas de controle de massa utilizadas por Edward Bernays baseadas nas teorias de Sigmund Freud e Ana Freud.

Eu sei que a expressão controle de massa é um pouco pesada, porém não existe nada que defina melhor o conceito. Assista o documentário e tire suas próprias conclusões.

O ponto é: Concordando ou não, alguns conselhos do passado não funcionam mais no mundo de hoje, apesar de toda esta manipulação.

5) Hoje, a economia compartilhada tem revolucionado diversos mercados até então controlados por grandes empresas. Um exemplo disso é o Airbnb, uma plataforma de locação de quartos que possui atualmente mais de 2 milhões de espaços disponíveis ao redor do mundo sem ter nenhum estoque.

Loucura não?

Fato: A tecnologia vem eliminando milhares de empregos diariamente (e não há sinal de que isso vá parar tão cedo), porém, ela também gera cada vez mais oportunidades de negócios entre as pessoas e acesso a informação.

O emprego formal (CLT) está morto há anos, no entanto, “o velho sistema” continua enraizado em nossa cultura.

6) Com tanto acesso a informação, tecnologias e possibilidades infinitas; muitos jovens ficam completamente perdidos, dispersos e vivendo a era do imediatismo (vide Whatsapp).

O que muitos jovens não entendem porém é que os seus pais também estão perdidos. Com a diferença que eles não conseguem ou não querem admitir isso.

Como eu sei disso?

Entre no Linkedin agora, visite alguns grupos de discussão e observe como milhares de pessoas acima dos 40-45 anos desempregadas estão sofrendo para se recolocarem no mercado de trabalho. E não é por falta de competência técnica.

E antes que você diga: “Isso é por conta da crise atual”, eu te digo: Não é. Eu acompanho estes grupos de discussões há 4 anos.

O mundo mudou. Fazer faculdade e pós graduação não resolve, ter 20 anos de experiência não resolve. Falar 2 ou 3 idiomas não resolve.

E o que resolve então?

Continue lendo para saber.

7) E os salários? Cada vez piores.

O salário médio real nos EUA hoje, ajustado pela inflação é quase 10% menor do que era em 2007. Veja, não é um problema do Brasil, trata-se de uma questão global.

Infelizmente no Brasil você ainda deve somar uma carga tributária pesada e uma cultura de que o país só começa a trabalhar depois do carnaval.

8) Por que então mesmo com tudo isso as pessoas continuam fazendo exatamente as mesmas coisas de antes?

Simples:

8.1) O ser humano é um ser social.
Adoramos fazer parte de comunidades (escola, igreja, trabalho, faculdade…). Ser diferente muitas vezes requer trilhar um caminho solitário e sem garantias.

8.2) O ser humano tem mais medo de perder do que de ganhar.
Fazemos o que todo mundo faz, pois acreditamos que esta deve ser a forma correta. E quando der errado, temos a quem culpar, no caso: “a sociedade”.

8.3) O ser humano é um ser de hábitos.
Desde pequeno aprendemos por meio da imitação. Imitamos nossos pais, irmãos, amigos e todos que estão a nossa volta. Quando crescemos, o caminho natural é imitarmos a multidão, afinal, o hábito de acreditar “que a vida é assim mesmo” já está bem enraizado em nossos corações e mentes.

Aviso Importante: “A vida NÃO é assim mesmo” e eu posso provar.

Será que Você está Preparado?

Todo jovem que eu conheço quer liberdade. Eu amo liberdade. É algo que eu sempre valorizei em minha vida, contudo, demorei para entender que para ser livre, antes é preciso ser responsável.

Grave isso: “Para ser Livre é preciso ser Responsável”.

Agora que entendeu o cenário em que seus pais e avós foram criados e o quanto o mundo mudou nas últimas 2 décadas. Entendeu que no fundo eles sempre quiseram fazer a coisa certa. Pare de criticá-los como uma criança mimada, afinal, agora você tem 18 anos.

Voltando a pergunta do início do artigo: Será que você está preparado para se libertar? Se a resposta é um sim, aqui está o que é preciso fazer.

Aviso Importante: Tenho muita responsabilidade sobre o que escrevo. Simplesmente não posso dizer a você o que fazer, seja com 16, 18 ou 50 anos. Porém, me sinto livre para dizer o que eu fiz ou faria melhor hoje.

O passo a passo abaixo leva em conta meus 16 anos de experiências, porém, também leva em conta o mundo em que vivemos hoje, as tendências e impactos que a tecnologia trará nos próximos 5 anos.

Fique a vontade para discordar, porém é exatamente esta a forma que vejo o mundo e pretendo passar para o meu filho.

O Passo a Passo

1 Passo: Pare de colocar a culpa nos outros por aquilo que você quer porém ainda não conseguiu. Assuma 100% a responsabilidade. E lembre-se: sempre é possível começar ou recomeçar de qualquer ponto da sua vida.

2 Passo: Plante muito antes de colher um pouco. Isso significa ter que trabalhar de graça, fazer coisas que não gosta, estudar mais do que todo mundo, perder algum dinheiro, errar várias vezes, sentir-se solitário até ficar bom em algo.

Siga meu conselho: Fale menos, faça mais!

3 Passo: Estude 4 horas por dia, 365 dias por ano.

O tempo que você gasta no colégio, cursinho ou faculdade não conta. Estou falando de estudar de verdade, não de “fazer de conta” para ganhar um diploma e impressionar seus pais.

Mozart chegou ao ápice da sua carreira aos 25 anos. Alguns diriam: Que sorte teve esse Mozart, no entanto, ele estudava desde os 4 anos de idade.

Mas como arrumar tempo?

Saia do Whatsapp, Facebook e dos Jogos online. E ao invés de ir para a balada todo final de semana, vá estudar.

Mas estudar o que?

4 Passo: Conecte-se com a sua infância (você passou por ela recentemente). Busque lembrar de experiências ou coisas que você amava fazer quando não precisava impressionar outras pessoas.

  • Fotografia?
  • Desenho?
  • Cuidar de animais?
  • Brincar de correr?
  • Montar prédios com legos?
  • Brincar de teatro?
  • Jogar bola…

Carl Jung disse: “Todos nascemos originais e morremos cópia”.

Encontre a sua originalidade, pense em algo que você faria de graça se não precisasse de dinheiro (dormir não vale).

Estes são os 2 melhores pontos de partida (conectar-se com a sua infância e encontrar o que trabalharia de graça) para encontrar o assunto que você deve estudar 4 horas por dia durante 365 dias no ano.

Provavelmente não será fácil. Nestes momentos, lembre-se do 2 Passo.

5 Passo: Não subestime as pessoas. O seu maior parceiro de negócios ou o seu pior inimigo podem surgir dos lugares mais inesperados. Aprenda com todo mundo em todas as situações.

Ser estúpido e arrogante te fará perder muito tempo, dinheiro e oportunidades. Fuja disso!

6 Passo: Teste suas ideias. Empreenda o mais rápido possível e faça algum dinheiro. Repare que eu não disse: “Arrume um emprego” ou “Monte uma empresa”.

O mundo está cheio de possibilidades e a verdade é que ninguém tem o mapa do caminho do sucesso. É preciso construir o seu próprio caminho. O importante quando se é jovem não é ter experiência, mas ter vontade, ideias e força para testá-las.

Eu disse “faça algum dinheiro“, pois a única maneira de saber se a sua ideia é boa é vendendo. Pessoas bem sucedidas sempre estão vendendo algo, uma ideia ou um sonho. Aprenda a Vender.

E mesmo que em algum momento da sua vida, você decida por um emprego, tudo o que sabe sobre vendas te ajudará sempre.

7 Passo: Aumente o Preço. No momento em que uma destas suas ideias começar a realmente dar bons resultados, comece a aumentar o preço. No momento em que isso acontecer e você não perder clientes, transforme isso em um negócio.

Pronto, agora você já sabe o que fazer com toda esta energia de ter 18 anos.

Se faculdade e anos de experiências não resolvem, o que resolve?

Gerar resultado.

Se você é capaz de gerar resultado, então, você é capaz de provar sua competência. Provando sua competência e aprendendo a vender, não tem como dar errado. Seu sucesso é garantido!

Os diplomas não vão te dar isso. Anos de experiência não resolvem se você não é capaz de dar resultado hoje.

A Vida Não é assim mesmo

Apesar de muitos tentarem lhe convencer que o mundo é assim mesmo desde sempre; posso te afirmar que esta é uma posição equivocada. Se isso tivesse qualquer fundamento, ainda estaríamos caçando para sobreviver.

Grandes pensadores, médicos, empreendedores entre outros simplesmente ignoram o status quo. Eles criam o mundo que desejam viver, criam as regras que desejam seguir e, no fundo, eles também criam as tendências que os outros seguirão.

Não seja refém da “verdade” dos outros. Construa a sua própria estrada para o sucesso.

Voltando ao Início

Voltando as perguntas do início do artigo:

Que carreira seguir?
R: Invente a sua carreira e prepare-se para mudanças. Em 5 anos, muitos cargos que existem hoje serão substituídos por máquinas ou não existirão. Não se prenda a uma carreira.

Que faculdade fazer?
R: Nenhuma (no próximo tópico explico melhor isso).

Qual profissão dá mais dinheiro?
R: Qualquer uma desde que você saiba se posicionar. Encontre um nicho dentro do nicho e seja o número 1.

E se não der certo? O que eu faço?
R: Fique com raiva, sinta-se um lixo, limpe as lágrimas e comece tudo de novo. Você não empreende para dar certo. Você empreende até dar certo. Tenha isso em mente.

Por onde eu começo?
R: Pelo passo a passo apresentado anteriormente.

O que eu posso fazer com 18 anos?
R: Qualquer coisa, mas não tudo. Leia este artigo para ter uma boa base.

3 Coisas que eu não faria logo após sair do ensino médio

Para finalizar, segue as 3 coisas que eu não faria logo após o ensino médio.

1. Não faria Faculdade

Eu mesmo demorei 6 anos para fazer faculdade. Com 18 anos você está tão empolgado que a chances são de que você vai escolher a faculdade errada. Já vi esta história dezenas de vezes.

Espere um pouco. Espere ao menos 2 anos antes de tomar esta decisão e ainda assim, faça uma faculdade a distância que é bem mais barata e demanda muito menos tempo.

2. Não procuraria um Emprego

Como eu disse, o emprego formal está morto. E problema nenhum você arrumar um emprego, mas não procure por ele. Foque seus esforços em criar oportunidades de trabalho relevantes. Deixe que as pessoas queiram contratá-lo.

O grande problema do emprego como o conhecemos hoje é que ele proporciona uma zona de conforto absurda. É uma porta gigantesca que se abre para viver aquela vida do ciclo que expliquei acima. Muito cuidado, pois depois que entrar, dificilmente irá querer sair.

Duvida?

Pergunte para pessoas que trabalham há 10-15 anos na mesma empresa, detestam o que fazem, ganham praticamente o mesmo salário, mas nunca saem desta situação.

3. Não compraria um carro, moto ou faria qualquer dívida acima de 12 meses.

Jovem adora um status. Acredite, se você quer desfrutar de uma vida confortável em 5-10 anos, antes precisará deixar a vaidade de lado e agir como um investidor.

É preciso em primeiro lugar investir em sua capacitação.

Parece contraditório dizer isso depois de sugerir que não faça faculdade, mas a realidade é que como investidor você descobre rapidamente que a faculdade é um investimento financeiro e de tempo muito alto com um potencial muito baixo de retorno.

Você precisa aprender habilidades práticas que possam ser aplicadas no próximo trimestre e que de alguma forma, tragam retorno nos próximos 2 semestres.

Parece imediatista demais? Não é. O ponto é que o mundo muda muito rápido para você assumir compromissos de 4 anos sem nenhuma garantia de sucesso (minha forma de pensar).

Até aprender tocar guitarra é mais negócio, desde é claro que você tenha em mente tocar em bares nos finais de semana para obter retorno deste investimento.

Lembre-se de pensar sempre como um investidor na hora de gastar seu tempo e dinheiro. Como disse anteriormente, você pode fazer qualquer coisa, mas não tudo.

Certamente você não vai querer acordar 30 anos depois infeliz e pensando:

“Se eu tivesse feito XYZ, hoje eu estaria em ABC, mas agora não dá mais tempo”.

Meu caro jovem, tempo é tudo o que você tem hoje, então, faça agora! Empreenda agora, viva o agora, erre agora e o mais importante, não deixe que ninguém abale sua confiança.

E se você gostou deste artigo, compartilhe com seus amigos de 18 anos. Quem sabe vocês não montam negócios juntos e aceleram ainda mais as chances de sucesso e felicidade no médio prazo.