O que Ninguém lhe Conta sobre Como Fazer um Currículo de Verdade

847 Flares Twitter 15 Facebook 215 Google+ 6 LinkedIn 611 Email -- Buffer 0 847 Flares ×

doutor x

Todas as vezes que tenho que contratar pessoas, o processo é doloroso. Seja para trabalhar comigo, seja para indicar para os meus clientes, contratar/indicar pessoas não é algo fácil. E os motivos são óbvios: Ninguém gosta de errar, perder tempo, perder dinheiro ou prejudicar sua própria imagem dentro da empresa.

Se você conseguir perceber a essência desses 4 aspectos e trabalhá-los corretamente, suas chances já aumentam consideravelmente em um processo seletivo.

Eu recebo propostas direto, porém, tenho que recusar simplesmente porque não consigo atender. E também não consigo passar a demanda adiante. Falta gente qualificada? Não, o que falta são sistemas que propiciem o encontro das pessoas certas com as oportunidades certas. Eu até procuro essas pessoas, mas sem sucesso! Muitos são eliminados só de olhar para o famoso curriculum, mas não pelos motivos que você deve imaginar. E já vou falar melhor disso adiante.

O ponto é que refletindo sobre esse cenário, cheguei a conclusão que uma forma de minimizar o problema “contratação” seria ajudando as pessoas a se posicionarem melhor. Facilitando a vida delas e as de quem contrata.

Se você acha que o motivo de eliminação de um candidato em um processo seletivo é a falta de uma determinada experiência ou um MBA, sinto lhe dizer que você está errado.

Sim, muitas empresas, principalmente as grandes, tem um processo de seleção surreal. Eles pedem tudo e mais um pouco, oferecem um salário ridículo e ainda se acham os poderosos. O que eles não pensam são nas conseqüências disso, tanto na vida da empresa (potenciais processos trabalhistas e tempo jogado fora com um funcionário que não vai durar), quanto na vida da pessoa que precisa aceitar aquela condição momentaneamente. É uma bomba prestes a explodir e ambos sabem disso.

Mas, voltando a minha proposta inicial, uma simples forma de você melhorar muito as chances de encontrar mais rápido a empresa ou projeto certo para trabalhar (e não ter que aceitar qualquer coisa) é começando pela sua apresentação. Isso mesmo: O SEU CURRÍCULO!

Honestamente, a impressão que tenho é que 90% das pessoas encaram seus currículos como uma ficha que elas precisam preencher para uma vaga de emprego.

Que fique claro: Um Currículo não é uma Ficha e as empresas sérias não estão procurando preencher uma Vaga de Emprego.

E é essa falta de visão que elimina a maioria. Me permita repetir: E é essa falta de visão que elimina a maioria. Mas fique calmo, pois originalmente a culpa não é sua. A indústria da educação luta diariamente para que você não saia “do trilho”. Mas ela não é a única, se você não acredita, considere assistir este documentário.

Mudando a Sua Perspectiva

Mudando a sua forma de pensar, o Currículo é a sua Proposta Comercial ou Carta de Vendas. Uma Entrevista é na verdade uma Reunião. E Você não está atrás de um Emprego, mas de um Cliente interessado nos seus Produtos (Competências) e em seus Casos de Sucesso (Experiências).

perspective

Eu posso te garantir, se você verdadeiramente entender essa perspectiva, suas chances começarão a aumentar drasticamente nas próximas reuniões, pois sua postura tende a mudar. Seu discurso ficará melhor e você entenderá também a perspectiva da contratante. Em minha opinião, empresas sérias (aquelas em que vale a pena trabalhar) não querem preencher vagas, elas querem e precisam resolver um problema de demanda. Elas precisam comprar de alguém, mas o problema é que existem muitas opções no mercado e pior, todo mundo “se vende” exatamente da mesma forma (e geralmente mal)!

E é aí que está a sua grande oportunidade: Como O que Você Faz Pode Preencher a Demanda? E Como Apresentar isso de forma diferenciada dos seus concorrentes?

Eu conheço excelentes profissionais, técnicos espetaculares, pessoas que ganham altos salários, mas que são péssimos em sua própria apresentação. Infelizmente, aceitando isso ou não, você precisará se apresentar melhor para conquistar novas oportunidades. E isso começa construindo um currículo de verdade! Não aquele que você só atualiza quando está desempregado ou desesperado para mudar de empresa. Nem aquele que só possui uma única versão para todas as oportunidades que se candidata. E claro, o currículo é só a “ponta do iceberg”, existe muito mais trabalho a fazer depois.

Está gostando do Artigo até aqui? 

Então não deixe de Assistir a Minha Série de Vídeos sobre Como Não Procurar Mais Emprego

4 Erros Comuns que Retardam sua (Re)colocação

1 – Só atualizar o Currículo quando precisa. O mesmo vale para Linkedin e cadastros em outros sites e redes sociais. Como eu disse, o currículo é a sua proposta comercial ou carta de vendas. De tempos em tempos, você precisa renová-la. O varejo de moda por exemplo, faz isso o tempo todo. Entra coleção, sai coleção. A renovação é sempre necessária. Encare seu currículo como um projeto de melhoria continua. Considere aperfeiçoá-lo a cada 6 meses pelo menos.

2 – Currículo mal estruturado e genérico demais. Apresentação, apresentação, apresentação! Se você possui várias competências e habilidades, agrupe-as de forma adequada e faça ao menos 3 versões do seu currículo. Poupe o tempo do contratante, faça-o ler apenas aquilo que interessa para sua tomada de decisão. Pense: Um Currículo serve para conseguir uma Reunião (Entrevista) não um Contrato Fechado (Emprego).

3 – Fazer Networking com a Rede de Contatos só quando precisa. Dias atrás, ouvi uma expressão ótima: “Cave o Buraco antes de ter Sede” E é exatamente isso. Comece a ajudar as pessoas, fazer contatos, almoços de negócios, indicar negócios para os seus contatos, agregar na vida das pessoas antes de precisar delas. É um processo natural, dê para receber.

draw-well

Então lembre-se “Cave o Buraco antes de ter Sede” 

4 – Não se Preparar para Entrevista. O mínimo que você deve fazer antes de se reunir com alguém é tentar descobrir algo sobre ela ou sobre sua empresa. O Google e a Linkedin estão aí para isso. Pode parecer básico, mas muita gente não faz esse simples exercício antes de participar de uma reunião (entrevista). E com isso, perdem a chance de surpreender o selecionador com um comentário inteligente a respeito de algum produto da empresa.

Mas então, por onde começar?

7 Dicas Matadoras de Como Fazer “O” Currículo

Fato, não existe uma fórmula mágica que funciona sempre e nem para todo mundo. Contudo, existem algumas dicas que podem te tirar da “vala comum” e tornar seu currículo muito mais atraente. Confere então as dicas de Como Fazer um Currículo de Verdade.

1. Foco

Evite currículos longos. Como eu disse, ele serve para conseguir uma entrevista, não um emprego. Imagine se você tivesse apenas 10 minutos para explicar o que você faz? Como faria? Pense no tempo das pessoas o tempo todo. Acredite, você não precisa falar sobre tudo o que faz ou sabe, mas é importante falar aquilo que é relevante para quem está lendo.

Dica Adicional: Empresas Precisam de Pessoas que Resolvem Problemas. Gente que FAZ ACONTECER. Pense nisso enquanto (re)estrutura seu currículo.

2. Organização e Beleza

Existem coisas na vida que são fundamentais em todas as profissões. Organização é um delas. Então, se você não consegue estruturar suas idéias e história em 2 páginas e “vender seu peixe”, você tem um problema. Pode parecer papo de vendedor, mas não é. A maneira como a sua mensagem – neste caso o currículo – chega até o interlocutor pode te eliminar automaticamente. É quase que o mesmo efeito de um SPAM.

Spam

Se você odeia receber SPAMs, pense agora na pessoa que recebe 180 currículos iguais ao seu por dia e está sendo pressionada para se decidir por alguém? Será que o seu currículo dos “anos 80” não parece mais uma mensagem genérica e chata? Semana passada, recebi o currículo de uma pessoa de 25 anos que me pareceu ter sido orientada pelo seu Avô. Eu li e não entendi nada. Além de mal estruturado, não dava para compreender quais eram as suas competências, quais eram os seus diferenciais.

“Às vezes, aquilo que você não faz, diz muito sobre você”.

Por mais que disserem a você que não, a beleza e organização importa. Seja simples, utilize fontes discretas e em tamanhos adequados. Quanto a estrutura, não tenho exemplo melhor que a Linkedin. Digamos que uma rede social voltada para profissionais, utilizada por mais de 270 milhões de pessoas no mundo, sabe um pouco sobre usabilidade, concorda? Eles fazem testes todos os dias, então, não existe motivo para reinventar a roda.

Mas existe um problema! A Linkedin permite customizar a ordem de apresentação das informações. O que fazer? Simples, procure 20 perfis de pessoas (Concorrentes) que fazem o mesmo que você, gente que na sua percepção são bem sucedidas e organizadas. Encontre os padrões que elas utilizam e copie a estrutura. BINGO!

Particularmente, foco em apresentar o que considero mais importante primeiro: O Resumo, as Competências e Experiências.

Informações tais como: CEP e Pretensão Salarial não são relevantes. Pense novamente como uma relação comercial entre empresas e perceberá que onde o seu escritório fica e o preço do seu produto não devem ser as primeiras informações a serem apresentadas.

3. Resumo

Capriche no resumo e lembre-se: Você é a sua Empresa e essa é a sua primeira chance! Pense nos 30 primeiros segundos de leitura do selecionador, ele vai querer ler o resto? Humanize e refine esse discurso de tempos em tempos. Eu uso estratégias diferentes na Linkedin e no Currículo. Na Linkedin você tem mais espaço e mais liberdade.

4. Competências e Experiências

Concentre-se nas suas Competências e Experiências. A faculdade de “grife” não vai ajudar muito se você não é o tipo de pessoa que sabe executar. Mostre a que veio! A Linkedin novamente pode lhe ajudar nesse ponto, pois, a medida em que as pessoas com as quais trabalhou vão lhe recomendando, suas melhores competências ganham mais e mais destaque.

5. Clichês

Evite esse papo furado: Sou responsável, justo, comunicativo, flexível e tenho ótimas qualidade interpessoais. Jura? Pena, porque estamos buscando pessoas irresponsáveis, desonestas e de preferência, extremamente teimosas. Faz sentido perder uma ou duas linhas do seu currículo escrevendo isso? Entende o que eu digo? Isso é o básico! Você contrataria alguém que no mínimo não tivesse todos esses requisitos?

BlaBlaBla

Não preciso nem falar sobre: Informática, internet entre outros. A não ser que isso seja diferencial em seu mercado, não é necessário informar. Novamente, use a criatividade e seja diferente. Mesmo sendo simples, você pode ser diferente:

Ao invés de “Tenho Iniciativa” ou “Proativo” diga: “Eu sou a pessoa que Começa as Coisas sem que precisem mandar o tempo todo”.

Ao invés de “Tenho bons conhecimentos de Planejamento Estratégico” tente um “Sou apaixonado por planejamento estratégico. Tão fissurado que se eu não sei algo, vou pesquisar até o final da internet para encontrar”.

Use com inteligência as palavras certas (bom senso sempre) e evite que o selecionador durma ao ler o seu currículo. Humanize, mas não exagere!

6. Linkedin

Essa dica é matadora, então preste atenção e aplique hoje. Responda: O que você gostaria que um selecionar (seu potencial cliente) encontrasse ao digitar o seu nome no Google? O seu Facebook? penso que não! Quando você possui um perfil na Linkedin bem escrito e indexado pelos buscadores, as chances da empresa lhe encontrar como primeiro resultado são enormes. E isso é tudo o que você gostaria, pois na Linkedin, as suas chances aumentam. Você tem espaço para apresentar ainda mais informações relevantes a seu respeito, como por exemplo: as Recomendações de outros profissionais que já trabalharam com você! E vou além, pense na possibilidade do selecionador conhecer alguém que conhece ou já trabalhou com você, o que aumenta ainda mais as chances do contrato ser seu. BINGO!

linkedin

Conheça as minhas 14 Dicas Simples e Práticas para melhorar o seu Perfil na Linkedin.

7. Recomendações

Você precisa de recomendações e ponto! 80% de todos os projetos em que trabalhei/trabalho foram por indicações e recomendações.  Trabalhe a sua rede de contatos constantemente. Peça feedback e recomendação para os seus clientes (dentro e fora do Linkedin), não tenha vergonha. Afinal, se você é um bom profissional, as pessoas não terão problema algum em falar de você. Eu uso 3 estratégias, mas vai ficar para um próximo post :)

Então, o que achou das dicas até aqui? Quer mais? Quer ajuda? Ainda está com fome?

Considere ler os seguintes artigos: