“Tornei-me um especialista em simplificar etapas, começar projetos e, principalmente, economizar o dinheiro dos meus clientes. E foi por isso que eu decidi montar o Comece.Me, pois acredito que existam muitas pessoas que querem começar algo, mas não sabem por onde”

Olá, meu nome é Alexandre Viveiros e há 14 anos venho acumulando diversas experiências em 3 áreas, basicamente: tecnologia da informação, marketing e análise de negócios.

No vídeo abaixo eu conto um pouco mais dessa história, como surgiu a ideia do projeto Comece.Me e como ele pode ser útil para toda pessoa que estiver pensando em começar um projeto, ideia ou negócio:

Agora, se você não tem muita paciência para ver o vídeo, pode ler também essa história:

Comecei minha carreira como redator de manuais de software, passando, na sequência, a ministrar alguns treinamentos relacionados aos sistemas da empresa. Algum tempo depois fui promovido a líder de equipe, onde tive o enorme prazer  de contribuir na formação de alguns profissionais e formar meu sucessor.

Uma vez que eu havia preparado meu sucessor, decidi ir para a área de implantação de sistemas, onde aperfeiçoei minha capacidade de análise dos problemas reais do dia a dia dos clientes, bem como a lidar com imprevisibilidades. Um ano e meio depois, fui convidado a ir para a área de desenvolvimento de produtos e gerenciamento de projetos, onde pude aprender muito sobre análise de sistemas e negócios, mapeamento de cenários e proposição de soluções de software.

Paralelamente a tudo isso, comecei a estudar Marketing por conta própria. Sempre me interessei muito pela parte de pesquisa e desenvolvimento de produtos. Comecei também a ler muito sobre planejamento de negócios, fiz vários cursos sobre planos de negócios e até vendi esse tipo de consultoria na época para alguns pequenos empresários.

Eu sou uma pessoa extremamente prática e não considero ter aprendido algo até colocá-lo em prática. E foi isso que eu fiz, aplicando esses conhecimentos adicionais pelas áreas que passei e montando meu primeiro negócio. Esse negócio paralelo consumiu muita criatividade, muita “mão na massa” e também me forçou a aprender muitas coisas novas. Foi uma experiência incrível, porém, apesar de gerar receita, ela não era suficiente para fazer o negócio decolar. Outro fator que pesava era o fato de que muitas vezes eu tinha que me desdobrar entre o trabalho formal e a minha empresa. Não foi fácil decidir fechá-la, pois aquilo era uma paixão, ver clientes entrando, satisfazê-los. Era incrível, mas não teve jeito, as contas não fechavam.

Resultado: 2 anos após o seu fechamento eu ainda estava pagando algumas dívidas. Arrependido? NEM UM POUCO! Foi um dos melhores investimentos em educação profissional que eu fiz, um MBA na prática!

Menos de um mês após fechar meu primeiro negócio, montei o segundo!  Se você é empreendedor de verdade, sabe do que eu estou falando. Empreender é coisa de maluco e altamente viciante. Gastei muito menos dinheiro para implementá-lo, mas sofri muito para aprender a montar um site. Hoje as coisas são mais simples e estáveis.

Resultado: Menos de um ano depois, o site saiu de 5 visitas por mês para 15 mil visitas por mês. Fui convidado para dar entrevista na TV local, convidado como mídia para cobrir eventos importantes da cidade.

Durante essa experiência, conheci um empresário bem sucedido de São Paulo. E devido a nossa ótima sinergia, acabei prestando algumas consultorias para a sua empresa e, pouco tempo depois, aceitando um convite para ir trabalhar dentro da sua empresa. Mas não foi só isso, ele comprou meu projeto também!

Mas “nem tudo são flores” e um tempo depois a empresa desse empresário passou por muitas turbulências, com direito a processos trabalhistas, entre outras ações judiciais. Mesmo com toda essa crise, continuei na empresa a seu pedido, lutando ao seu lado. Só que a empresa começou a ter dificuldade até para pagar os salários.

Foi nessa época que eu conheci, por meio de um amigo, um investidor anjo. Esse investidor e o meu amigo acabaram me convencendo a embarcar em uma nova jornada. Montamos a empresa com tudo a que tínhamos direito: escritório, funcionários e até a máquina de café (esse foi meu terceiro negócio).

Sério, aquilo era um sonho! Tínhamos projetos muito bons, pessoas inteligentes, dinheiro… Aí você pensa: Tem como dar errado? TEM! De qualquer forma, eu aprendi tantas lições de negócios que poderia escrever um livro.

Resultado: O dinheiro, entre outras coisas, acabou nos atrapalhando. Perdemos o foco, desenvolvemos softwares com funcionalidades incríveis, mas que não conseguíamos vender. E para piorar, alguns fornecedores e parceiros “nos passaram para trás”, o que causou prejuízos financeiros significativos. O dinheiro foi acabando, nossa motivação também e a empresa não decolou.

Nunca me senti tão péssimo em toda minha vida. Pior do que nunca ter chegado ao topo é chegar lá e cair. Passei meses pensando sobre tudo isso, sobre todas essas experiências, todos os erros cometidos, mas também refleti sobre tudo que aprendi. Sempre fui uma pessoa otimista, mas eu estava no “fundo do poço”. Para piorar, meu pai havia falecido há poucos meses e eu cheguei a pensar que ele teria vergonha de mim, do meu fracasso.

Então, alguma coisa aconteceu.

Um amigo que conhecia essa minha saga me convidou para dar uma palestra para alguns de seus funcionários. Mas o tema proposto por ele me assustou: “Alexandre, eu quero que você vá lá e conte a sua história, principalmente os seus fracassos. Conte o que você fez de errado, o que aprendeu com isso, o que você nunca faria novamente, mas também diga a eles as coisas que deram certo”.

Acredite! Isso, em princípio, me deixou pior ainda! Afinal, quase ninguém que eu conheço gosta de contar os seus fracassos. De qualquer forma, eu topei! E foi incrível.

Foi incrível ver o respeito das pessoas por mim. Elas estavam interessadas em aprender, realmente interessadas em descobrir o que não fazer. Outro fato curioso é que elas também queriam saber sobre as coisas que deram certo, sobre o que eu faria de novo. Quais passos dar e quais pular.

E isso se repetiu mais algumas vezes com outros amigos empresários. Confesso, foi um recomeço bizarro, mas sempre temos que recomeçar de algum lugar.

Paralelamente a essas seções “conte-nos sobre seus fracassos e sucessos”, um grande parceiro de negócios do passado me convidou para prestar uma consultoria dentro da sua empresa. Ele precisava de alguém de confiança e que soubesse “como se virar do zero” com poucos recursos.

Meses depois, aquele empresário de sucesso do passado me convidou novamente para trabalhar com ele, porém, prestando consultoria independente dessa vez. E isso se repetiu e vem se repetindo algumas vezes desde então. E foi assim que eu montei meu quarto negócio sem me dar conta. E foi aí que eu descobri no que eu realmente sou bom:

– Ajudar as pessoas e empresas a começarem as coisas. Simples assim!

Tornei-me um especialista em simplificar etapas, começar projetos e, principalmente, economizar o dinheiro dos meus clientes. Foi por isso que eu decidi montar o Comece.Me, pois acredito que existam muitas pessoas que querem começar algo, mas não sabem por onde.

E depois de tudo o que eu vivi a aprendi até agora, posso lhe dizer:

– Eu sei como economizar o seu tempo e dinheiro. E digamos que conheço alguns atalhos para as coisas que dão mais certo que outras.

Então, aproveite todos os conceitos, ferramentas e técnicas que já utilizei, utilizo e que são utilizadas por pessoas muito bem-sucedidas no mercado. Eu realmente espero poder ajudá-lo a chegar lá, seja lá onde você quiser que seja.

Você pode conhecer um pouco mais dessa história no meu Linkedin: Alexandre Viveiros

Namastê!